Orientação

Se tem uma coisa que tenho aprendido é que só a experiência do livre pensar, exercitado dia-a-dia, permite a expressão, seja por meio da palavra ou através dos atos.

Uma frase que escutei certa vez e que marcou profundamente minha vida é que a liberdade não é fazer o que se quer, mas aquilo que tem que ser feito. Ela funcionou como uma espécie de guia, mesmo que por vezes eu discorde dela.

Creio que o fato de discordarmos das coisas ou simplesmente o de as questionar é que move nosso pensamento sobre o modo como compreendemos as coisas..., "esconjurando o medo da crítica", como escreve Bourdieu - autor francês, sociólogo.

Se nos calamos apenas por que não queremos ser questionados, então para que serve a palavra ou o pensamento?

Este autor aponta também para a importância do reconhecimento das referências em nossas vidas e das orientações que guiam nosso pensamento para determinadas questões, posturas, condutas, enfim, as ações, como decisões realizadas através da escolha somadas ao risco de se expor. Ele afirma ainda que somente podemos "liquidar" os erros se nos posicionamos, se agimos.

Ficar calado assitindo o mundo é muito menos do que podemos, já que o pensamento, assim como a vida é em ação. Só o movimento do corpo somado ao do pensamento, expressos, é que dão sentido às coisas que dizem respeito à nossa vida, já diziam Nietsche, Sartre, Lefebvre, Hannah Arendt entre outros.

As primeiras orientações sobre o modo de compreender o mundo vieram de dentro de casa, da sabedoria de minhas Avós e avôs, mãe, pai, tios, primos, cada um com suas experiências de vida.

Posteriormente uma série de mestres - aos quais agradeço profundamente-, através de suas condutas e pensamentos me ensinaram a escolher tanto o que eu almejava ser, até aquilo que eu considerava terrível como conduta. Mesmo aqueles dos quais eu discordo balizam minhas escolhas. Os parâmetros são imprescindíveis e sem dúvida contribuem para nossa própria experiência de vida.

Se orientar e ser orientado são também aprendizados, construídos à partir de nossa sensibilidade e atenção para as coisas que acontecem "extra-ordinariamente" cotidianamente em nossas vidas.

Escolhi me posicionar no mundo e não pretendo me calar.

Escolhi também o caminho do amor por mim e pelo outro, sem ter medo de me expressar...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre as viagens...

Manifesto sobre processos e praticas projetuais. O caso do estudo para o Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSJ.